facebooktwitter2FlickrYouTube

Português (Brasil)English (United Kingdom)Español(Spanish Formal International)
Universo particular

espaces exquis_noticiaA companhia francesa Proposition explora a tensão do individual versus coletivo no espetáculo Espaces Exquis, sábado e domingo, na Aliança Francesa

Remeter o público para dentro de um momento íntimo de autodescoberta. Este é o objetivo do espetáculo Espaces Exquis, da companhia francesa Propositions, que explora o tema da jornada de vida individual através das configurações espaciais da dança, como se estas fossem capítulos de uma vida. O espetáculo faz parte da programação do VIVADANÇA Festival Internacional e será apresentado nos dias 21 e 22 de abril, sábado e domingo, às 19h, no Teatro Molière (Aliança Francesa). Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Pouco a pouco, o espaço no palco é criado, modificado, manipulado, e tão facilmente desconstruído assim como a vida. A única certeza é a fluidez constante. Cada novo traço desenhado neste espaço marca a própria existência do ser humano, da mesma forma como cada caminho tomado ou escolha feita. Mas, na construção de uma jornada de vida individual, as experiências compartilhadas são tão presentes quanto o desejo ou a necessidade de traçar, solitariamente, a própria existência.

Desta tensão surge uma luta interior entre lados opostos que vai desde um momento de indiferença diante do outro até o encontro intenso entre duas pessoas/dançarinas, mostrando que o frágil equilíbrio entre combate e cumplicidade pode ser, ao mesmo tempo, revelador e perturbador.

Criado a partir de um desejo de investigar o vocabulário de movimentos individual e compartilhado, Espaces Exquis, que pode ser traduzido como "espaços individuais", também faz referência a uma forma de contação de história coletiva, na qual a narrativa é criada por uma conjunção de elementos trazidos por diversas pessoas.

Fundada em 2007 por Patricia Quevedo Henry e Estelle Chabretou, a Cie Propositions se dedica à criação, promoção e disseminação de iniciativas coreográficas motivadas por um processo criativo colaborativo. O próprio nome da companhia reflete uma abordagem de troca e contínua negociação de suas intenções artísticas, seja entre artistas e colaboradores durante um processo criativo ou entre artistas e público durante as apresentações. A proposta é mergulhar na complexidade e da vitalidade das relações humanas para explorar a relação com um ser e com outros, trazendo à luz a inevitável interconexão que une todos os seres humanos como indivíduos.