facebooktwitter2FlickrYouTube

Português (Brasil)English (United Kingdom)Español(Spanish Formal International)
O poder das palavras

Sol by_Valecia_Ribeiro_3Grupo francês que mantêm projeto de residência em Itacaré mescla coreografia com novas mídias em dois solos inspirados no significados das palavras sol e saudade

Saudade e Sol são dois solos criados pela companhia francesa Dezeo-Ito, que buscam refletir e traduzir o sentido destas palavras através da dança. A companhia fará duas apresentações na programação do VIVADANÇA Festival Internacional, nos dias 18 e 19 de abril, quarta e quinta, às 19h, no Teatro Molière (Aliança Francesa). Os ingressos custam R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).

O solo Saudade, interpretado por Catherine Pollini, busca traduzir o significado desta palavra, que só existe na língua portuguesa, através da linguagem universal da dança. A partir de entrevistas verdadeiras e imaginárias, a intérprete dança a saudade presente no próprio palco pelo fato dela estar só em cena.

Já o solo Sol, interpretado por Guillaume Lauruol, joga com o duplo sentido da palavra que, em português, identifica o astro-rei e sua luz, e, em francês, significa chão, terra. Francês de nascimento que adotou o Brasil como morada, Lauruol dança para sentir a terra escolhida de baixo dos pés, para imaginar a terra dos deslocamentos e desenhar um novo percurso, utilizando uma partitura sonora com técnicas de vídeo. Enquanto Saudade dança a ausência, Sol dança o acolhimento.

Dança e novas mídias - A companhia Dezeo-Ito nasceu com o intuito de pesquisar e conectar a dança, as artes visuais e o som eletroacústico. Além de apresentar o resultado destas pesquisas no palco, o grupo irá ministrar, também, a oficina de light painting, voltada para dançarinos, atores, performers e artistas visuais. Com inscrições já esgotadas, a oficina acontecerá nos dias 16 e 17 de abril, das 14 às 16h, na Escola de Dança da UFBA, em Ondina.

O objetivo da oficina é apresentar aos participantes o software de light painting, desenvolvido por Cyrille Brissot, parceiro da companhia, que permite fazer desenhos no espaço vazio. Com um dispositivo de luz, webcam e videoprojetor, os participantes poderão dançar e "imprimir" os seus movimentos através destes dispositivos.

Companhia Dezeo-Ito - Desejo-construir-imaginário. Este é o significado em português do termo Dezeo-Ito, nome da companhia criada em 2005 por Guillaume Lauruol que, desde 2009, tem sede em Itacaré, no sul da Bahia. Com o objetivo de pesquisar a dança, o som e as artes visuais. A Dezeo-Ito se propõe a interrogar o corpo da/na sociedade moderna, através de uma plataforma multiartística e humana, na qual arte coreográfica, artes do circo e artes numéricas (som e imagem) se conectam a serviço da criação. O grupo busca favorecer trocas interculturais e artísticas pelo mundo, a fim de permitir encontros, cooperações e circulação.

Guillaume Lauruol - Coreógrafo, videomaker e cenógrafo, Lauruol criou a companhia Dezeo-Ito e, com o apoio de diversas instituições da França, Bélgica e Brasil, criou os espetáculos SCAPE e Sous le Pneus la Plage que foram apresentados naqueles países e no Japão. Em 2009, ele idealizou o Projeto do Ar, junto com Catherine Pollini, premiado pelo K. Vianna 2009. Também participou do evento Outras Danças, promovido pela FUNARTE e FUNCEB, em Salvador, e de uma residência de pesquisa com o coreógrafo brasileiro João Fernando Cabral. Ainda em 2009, ele criou, a produtora Pensamento Tropical Serviços Limitada em Itacaré, região Sul da Bahia, também em parceria com Pollini, com o intuito de estimular o intercâmbio artístico, através de residências e formação de plateia.

Catherine Pollini - Coreógrafa, dançarina e atriz, Catherine Pollini formou-se em dança em Avignon e no Centre National de Danse Contemporaine D'Angers, em Paris. Há 15 anos, ela atua no cenário mundial já tendo trabalhado na companhia J-F Duroure, com M.Perrone e na Cia B. Lubat. Desde 2001, participa da montagem de La Cuisine de Mladen Materic et Peter Handke, no Tattoo Théâtre, com passagem nos festivais de Edimburgo, Madri, Viena, Caracas, no Festival d'Automne de Paris e no Vidy-Lausanne, na Suíça. Em 2005, fundou a companhia Cat40 para montar Mai 2005, 11/12/Paradis e Sésames Comédie 007. Colabora com a Cia Dezeo-Ito no espetáculo Sous les Pneus la Plage, que foi estreado em outubro 2009 para o Ano França no Brasil, no Teatro Castro Alves, em Salvador. Também fez a direção da performance Ah! Se eu Fosse Marilyn de Edu O., selecionada no programa Quarta que Dança, da Funceb 2011.