facebooktwitter2FlickrYouTube

Português (Brasil)English (United Kingdom)Español(Spanish Formal International)
Coreanos no Lounge

Artistas baianos e coreanos apresentam performances no Lounge do VIVADANÇA no Passeio Público

No próximo sábado, dia 14, acontecerá a segunda noite do Lounge, espaço montado no Passeio Público pelo VIVADANÇA Festival Internacional para receber artistas da música e outras linguagens. Quem vai comandar as pick-ups desta vez é o DJ Mangaio, com seu som afrobeat, ao lado dos músicos Marcelo Seco e Mamá Soares.

Como o lema do festival é a diversidade, o espaço receberá também o grupo sul-coreano The Gwangdae para apresentar uma performance tradicional de seu país, que mistura dança e teatro. Outra novidade é o bazar que contará com a participação do Ateliê Bangalô das Artes, Núcleo Supernova e da Lojinha do Vila. As apresentações começarão às 17h, com uma pausa às 19h para a Cinemateca (Cabaré dos Novos) e depois o espetáculo da companhia suíça Cie Linga (palco principal do Teatro Vila Velha), e retornarão às 21h. O acesso ao Lounge é gratuito.

O Dj Mangaio é baiano e, desde criança, estuda música. Aos 12 anos, começou com aulas de violão, e aos 18 mudou-se para Boston, onde estudou música e produção de áudio. De volta ao Brasil, lançou seu primeiro disco autoral em 2008. Influenciado pela música americana e africana, o seu som é marcado por ritmos como o afrobeat, trip hop, dub, além de ritmos baianos como ijexá e o samba-reggae.

Já o grupo The Gwangdae é composto por artistas graduados na Korea National University of Arts e aprendizes do Goseong Five Clowns. O grupo cria obras de arte contemporâneas incorporando elementos tradicionais coreanos como dança/drama de mascarados e performances de rua com artistas do sexo masculino. O grupo está em processo de residência artística com o Instituti Sacatar, na Ilha de Itaparica.

O Lounge segue com a sua programação nos sábados 21 e 28 de abril, recebendo o grupo Ambulante Original, parceria entre os Djs Dudoo Caribe e Germano Estácio, e a Ana Dumas com o seu carrinho multimídia. O Coletivo Xaréu com as suas performances marcadas pela experimentação estética encerra a programação do espaço.