Vivadança

O Festival

O VIVADANÇA é um espaço de celebração da dança: aqui os mais variados estilos e ritmos levam ao público o que há de mais diverso na dança do Brasil e do mundo, além de dialogar com as demais expressões artísticas. Dentro dessa diversidade, o Festival tem destaques como a Batalha de Break – que traz um pouco da cultura Hip Hop; a Mostra Casa Aberta – que abre espaço para novos talentos de diversas áreas da dança; a Mostra Baiana de Dança Contemporânea – que valoriza o que há de melhor e mais atual na dança baiana, incentivando sua divulgação e circulação por outras regiões do país; a Rodada de Negócios VIVADANÇA – que abre um espaço para networking entre artistas, diretores e programadores de todo o mundo; além de exposições, oficinas, workshops e mesas redondas. Tudo isso somado a espetáculos de destaque da dança nacional e internacional.

1

História
Criado em 2007, em Salvador-BA, com o nome de Mês da Dança no Vila, o VIVADANÇA começou como uma programação em comemoração ao mês da dança, que acontecia com apresentações no Teatro Vila Velha. Em uma década de existência, teve seu formato ampliado: tornou-se internacional e teve sua trajetória marcada por fatos importantes, como a criação da Mostra Casa Aberta, Batalha de Break e do Prêmio VIVADANÇA. Em 2014, estreou com sucesso a Mostra Baiana de Dança Contemporânea, inicialmente uma categoria do Prêmio VIVADANÇA, que acabou por se destacar e ir além. Desde 2015, também promove a Rodada de Negócios, projeto pioneiro no Brasil, como forma a promover oportunidades de divulgação e networking para artistas locais. Além de Salvador, já passou por Camaçari, Belo Horizonte, Brasília e Vitória.

2

Essência
Desejamos: reunir pessoas, permitir novas vivências, promover conexões, estimular a diversidade, democratizar o acesso ao palco e ao teatro e celebrar a dança. Tudo isso num ambiente de profissionalismo, seriedade e serenidade, movimento, alegria e inspiração, valorizando a diversidade. Dessas premissas o VIVADANÇA se fez e se reinventa a cada ano, vivendo e celebrando sempre a dança.

3